terça-feira, 19 de Fevereiro de 2013

A refundição do Leão

Já é tanta gente (com acesso a muito mais informação do que eu) a gritar alto o estado crítico das finanças do clube que começo a perguntar aos meus botões do teclado se isto terá mesmo safa. Será que ainda vamos a tempo de salvar o Sporting e voltar a ver títulos...no nosso tempo de vida?

Qual é o ponto de "não retorno"?...o ponto em que a coisa está tão lixada que ninguém se chega a frente...onde fica? Será que este mandato chegará ao fim? Será que o Sporting tem forma de pagar as suas dívidas? São grandes dúvidas que pelos vistos até os candidatos a candidatos tiveram. Uns avançam porque nunca imaginaram que vão ganhar, outros porque tem de cumprir o sonho...e até agora nenhum porque tem soluções. Isso é grave.

Não é que eu espere que alguém encontre um camião de dinheiro ao virar da esquina...mas convém ter um plano, uma ideia, um pensamento que seja, estruturado, que posto em pratica permita num determinado espaço de tempo endireitar o clube. Não haver nenhum diálogo sobre soluções assusta-me. Ao ponto de imaginar que os até agora candidatos confirmados não fazem a mínima ideia de como vão governar o clube.

Aliás não fazem a mínima ideia de como está agora o clube. Isto porque parece mais fácil descobrir segredos militares israelitas do que ter um quadro completo do estado financeiro da SAD leonina. Não é bom sinal...normalmente as grandes trapalhadas têm camadas e camadas de trampa sobrepostas e só quando se limpa uma se descobrem outras.

Não será surpresa para ninguém que a próxima direção entre literalmente em pânico assim que lhe for dado acesso a toda a informação. As brincadeiras de Godinho e Ricciardi, com o escrivão Nobre Guedes devem ter sido épicas...com milhões a taparem outros milhões...e juros a empilharem-se como moscas à volta da tesouraria do clube. Passando a fase de histeria....terá engenho e energia para a resolver?

E se não tiver? O que nos espera? Já alguém pensou nisto? Vejo tantas vezes citado o caso da Fiorentina...será que teríamos a capacidade de renascer como os italianos fizeram? Seria assim tão rápido?
Qual é o património do Sporting? Jogadores, Academia, alguns terrenos e Alvalade...os atletas seriam a parte fácil de resolver, mas quem vestiria as camisolas? A Academia seria rapidamente vendida, provavelmente a uma cadeia de hotéis. Mas onde nasceriam os próximos leões? E o estádio...quem compraria um equipamento de futebol de massas onde só um clube pode chamar de "casa"?

É óbvio que mesmo vendendo a equipa principal toda, o Sporting arrecadaria à volta de 100 milhões de euros. Somando a Academia e o Estádio (vou estimar algo inestimável) por mais 100 milhões...isto daria mais ou menos metade do que devemos. Metade! Como é possível ter chegado até aqui?! Como será possível a um clube que irá cortar provavelmente 70% do seu orçamento, obter êxitos que permitam colocar jogadores nas montras dos grande clubes europeus?

Não é linear para mim que uma equipa fraca, consiga destacar jogadores que os Man City, Real Madrid ou outros até menores queiram vir resgatar por dezenas de milhões de euros. Porque o que temos visto no Sporting são vendas de poucos milhões...muito poucos. Uma equipa que ande pelo 9º lugar da Liga Portuguesa vende jogadores por 10, 15 ou mais milhões? Não. Vende-os por 1 ou 2 milhões ao Porto, Benfica, ao Ossasuna, Hannover, Happoel e coisa assim.

Desinvestir na equipa de futebol é uma obrigação. Mas vai ter um custo. Vai haver menos dinheiro de gamebox, menos sócios, menos cotizações, menos merchandising...menos Liga Europa, menos Champion, menos transferências...menos tudo. Como iremos então pagar os juros (já nem falo em amortizar) que devemos? Como? Até agora a solução parece ter sido...empurrar com a barriga para a frente, mas até quando e especialmente até onde? Acho que faço uma pequena ideia...

Um dia um administrador de um banco vai acordar mal disposto e vai responder a um telefonema com um não. No segundo telefonema vai dizer também não. O último dos telefonemas será de um político de grande responsabilidade e pela última vez vai responder não. Nesse mesmo dia o Sporting acaba.

Nascerá outro sem dúvida. Mas será a mesma coisa?

SL

6 comentários:

  1. Não seria assim.

    Seria primeiramente fundado um novo clube. Suponhamos "Sporting 1906". Esse clube compraria os atletas e a academia ao actual SCP. É só do que precisa.

    O actual SCP declarava-se insolvente. A banca ia espumar de raiva porque, ao contrário do que dizes, o estádio de alvalade, sem o SCP, vale 0(ZERO) euros.

    Ficaria no activo o "Sporting 1906". Com os jogadores comprados com crédito - difícil: que banco entraria nisto contra outros bancos? - ou com o dinheiro da formação do capital social - investidores. Muito pouca dívida inicial e um clube novo... com 3 Milhões de adeptos. Não teria estádio. Teria de alugar um. Jamor? Penso que poderia começar na 3ª divisão... ainda que seja nos distritais... (há imagens espectaculares do Glasgow a jogar na 3ª divisão... estádios com capacidade para 1000 pessoas com 5000 rangers enpacotados a gritar e a cantar)não acho que seja grave, e com a qualidade dos jovens, eu dava 5 anos para a subida completa.

    É preciso ter atenção a isto porque cada vez me convenço mais que é a única solução digna. É sair pelo próprio pé ao invés de ser derrubado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E ao fim de 5 anos chegavam os gestores de topo novamente.

      Eliminar
  2. um gestor dum banco diz não ao quê?

    mas tu achas que eles não têm interesse em que se pague a divida?

    o que é que o SCP tem? descobre por ti proprio javardeiro.

    este post não tem ponta por onde se lhe pegue.

    ResponderEliminar
  3. Acho que anda por aqui pessoal de muito mal com a vida. Relaxem um pouco, aproveitem bem que isto a vida são dois dias...animem-se um pouco e deixem de ser bestas. Não gostam dos posts, não venham, pois ninguém deve fazer coisas que não gosta, de forma voluntária.
    Insultos e coisas como às vezes aparecem nesta caixa não vão produzir nenhum efeito, pois este blog não tem intenções de ir a lado nenhum. É o que é e mais nada. Há tantos blogs para ler, este é só mais um e é tão fácil ignorar um Anónimo qualquer que posta uma "merda" qualquer...que sinceramente não sei porque se dão ao trabalho.

    ResponderEliminar
  4. Não concordo nada com o JFF, expõe uma teoria utopica, sem pés nem cabeça. No dia em que o Sporting fosse jogar nos pelados das distritais acabaria de vez! O mais fácil, e ainda vamos a tempo, é: 1) todos os que se dizem sportinguistas se tornem sócios (que é, também, o que faz os clubes serem grandes) 2) Ter uma direcção com credibilidade perante os sócios, a Banca, e potenciais investidores 3) A direcção eleita gaste o mínimo necessário para ter um equipa competitiva, recorrendo à formação 4) Renegociação da divida aos Bancos 5) ter uma relação saudável com os Bancos(os Bancos não são um papão), pois eles tem todo o interesse em que lhe seja paga a divida e o Sporting em pagá-la 6) manter o ecletismo, pois faz parte integrante do ser sportinguista. SL

    ResponderEliminar