sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Paciência ou pragmatismo?

O Sporting apostou forte no último mercado. Quer pela necessidade de melhorar o plantel, quer pela urgência de repor valor depois das saídas de Slimani, Montero e João Mário (entre outros), o futebol leonino moveu-se no sentido de apetrechar o plantel de mais e melhores soluções. 5 meses passados é hora de olhar para o que foi ganho e o que pode ser melhorado, com olhos postos na janela do mês seguinte.

Beto
Tem cumprido a função para o qual foi contratado e sem surpresas assegurou a sombra ideal para Patrício

Douglas
Poucas oportunidades, mas ainda assim bem sempre que chamado à equipa, a confiança na dupla titular e a estabilização desta depois de um mau início retirou espaço de afirmação ao brasileiro. A confiança de que se for chamado vai ser solução mantém-se.

Petrovic
Embora na última partida tenha mostrado um pouco mais de convicção, a verdade é que o sérvio, independentemente dos elogios de JJ não tem sido o jogador que foi projectado e idealizado pelo treinador leonino. Arrisco até em dizer que, se tiver mercado, será dos primeiros a quem a SAD vai ver com bons olhos a recuperação do investimento realizado.

Elias
Se Petrovic não soube ganhar espaço como alternativa a William, muito menos Elias equivale nesse papel em relação a Adrien. É certo que a sua utilidade vai para além do lugar do internacional português, mas para quem vinha do Brasil como um dos melhores jogadores locais...é pouco. Pode até ser injusto comparar qualquer médio com o que Adrien dá a esta equipa, mas a verdade é que a décalage é muito maior que a esperada. A China pode acenar com uma transferência boa para todas as partes, mas a minha questão é: se até Elias parece pouco para substituir Adrien, quanto terá o Sporting de gastar nesta possível substituição?

Meli
A grande incógnita do plantel. Poucos minutos, no final das partidas, não é o suficiente para avaliar que tipo de jogador está ali. Pelo tempo de uso é fácil antecipar que JJ não foi com a sua cara e com contrato de empréstimo está mais que visto que esta é aquela saída mais que previsível. Até André Martins teria tido mais tempo de jogo.

Markovic
Se formos justos, o sérvio esteve longe de se assumir como a vedeta da equipa e JJ deu-lhe todas as oportunidades. Embora se sinta todo o talento bruto em jogo, o líquido é bastante menor que o ideal. Como desiquilibrador e desbloqueador de partidas, Markovic está aquém do desejado, sendo que o maior problema reside nos apagões que realiza em grandes partes do jogo e da dúvida permanente se é o transportador que se pedia, o suficiente para fazer esquecer João Mário. A sua continuidade não está em causa, até porque a teimosia de JJ deve prevalecer especialmente se pensarmos nas necessidades de ter ativos para assumir a Liga Europa.

Campbell
Um furinho acima do que escrevi para Markovic, essencialmente pela atitude, que o faz estar muito mais dentro das partidas. JJ errou ao tentá-lo como ala e embora não tenha ainda posição conquistada no onze, é solto atrás do ponta de lança que rende mais. Pelo seu carácter "one man show", pagou uma factura elevada...o treinador do Sporting não vai muito à bola com "autodidatas tácticos"e teve muito mais tempo de banco que o suposto, graças a esse "castigo". A sua clausula de rescisão parece ainda longe de ser batida, o que quer dizer tudo na sua avaliação, pelo menos até a esta altura.

Bas Doost
A missão de fazer esquecer Slimani era gigantesca e sendo até normal que o argelino tivesse feito mais e melhor no seu lugar, é indesmentível que parece de todos os reforços o que mais foi acertado. Foi caríssimo, mas a forma como já conquistou o direito a cânticos é demonstrativo do apreço do universo leonino pela vontade e talento do internacional holandês. Algum apagamento coletivo ofensivo, estragou as estatísticas do nosso novo homem-golo, mas para já não está mal...falta talvez uma boa exibição frente a um grande adversário...e nos próximos jogos irá ter essa oportunidade (é que Slimani "matava" nessas partidas).

Castaignos
Parecia votado ao destino de Meli, mas nos últimos jogos lá teve algum tempo de jogo. Sinceramente, é preciso muita fé e uma alma de vidente para prever um bom futuro para o holandês no Sporting. Com o regresso de Spalvis, um deles sairá.

André
Há dois prismas para avaliar o brasileiro. Para os que acharam que ia ser um flop total, o "Balada" esteve bem acima desse grau e fora Doost é o melhor argumento ofensivo disponível. Não parece "gostar" de ser a referência paralela ao avançado centro. Para os que tinham esperança que se assumisse como uma grande "descoberta" no plantel, até pelo tempo de jogo, André não esteve ao nível de assegurar o estatuto de indiscutível. Ainda assim, parece poder crescer, com alguma adaptação às exigências tácticas de JJ.

Spalvis
Talvez faltem ainda 2 meses de recuperação e a minha dúvida é se o Sporting vai apostar na sua evolução na B, mantendo Castaignos ou na recuperação na primeira equipa, dispensando o holandês.

A.Ruiz
É a minha grande dúvida. Se é certo que está muito distante de parecer um reforço de 7 milhões, a verdade é que mostra muitos pormenores que podem aproximá-lo desse patamar. O problema é avaliar quanto tempo e quantos jogos vamos ter de esperar até ver um Ruiz condizente com o que o Sporting precisa. Os próximos meses vão ser decisivos nessa avaliação.

Em resumo, os reforços estiveram quase todos longe da fasquia bastante exigente de JJ. O padrão é muito alto e as exibições de Patrício, Semedo, B.Cesar, G.Martins, Adrien ou William, continuam a ser demasiado elevadas para quem chega. Tal como na época anterior, os grandes trunfos já estavam na equipa e esta avaliação pode ser lida de duas formas: ou estamos a fazer contratações abaixo do exigível ou o custo de soluções ao nível das que já temos é demasiado elevado. Seja como for, em Janeiro o Sporting terá de reflectir e muito, nos investimentos que fez no Verão.

SL

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Taça da Liga | Sporting Vs Arouca (1-0)

Um Sporting em poupança venceu um Arouca envergonhado.

Equipa:
Beto | Esgaio, Jefferson, Douglas e P.Oliveira | Petrovic, Elias, A.Ruiz e Markovic | Campbell e André (Castaignos, Matheus e Meli entraram)

Resumo:
Dia de rodar a equipa. JJ apostou num onze com jogadores menos preponderantes no plantel e apesar de alguma falta de sincronismo, a dinâmica foi razoável, pelo menos o suficiente para dominar totalmente a partida. Só nos primeiros minutos da partida o Arouca "testou" as águas, mas face ao bom caudal ofensivo dos leões, os arouqueneses preferiram ficar lá atrás.
O golo surgiu já depois de algumas oportunidades e pelos pés de A.Ruiz que marcou numa jogada que vinca bem a sua facilidade de remate. O Arouca não reagiu e o Sporting continuou a tentar o 2-0, mas acabaria já no final da partida a optar por não correr riscos. Ainda assim, seria Elias (já na fase de desespero do Arouca) a falhar o golo numa das mais claras oportunidades da partida.

Os melhores:
Douglas e Elias.

Arbitragem:
Hugo Miguel este tranquilo num jogo absolutamente sem casos

Lesões & Ocorrências:
- Ruben Semedo cumpriu castigo por expulsão no Bessa.
- Castaignos saiu do banco e...saiu lesionado, com traumatismo no joelho. Aguarda-se o diagnóstico.
- Foi cumprido um minuto de silêncios em honra das vítimas do acidente de viação na Colômbia que vitimou a equipa do Chapecoense.

Pontos e Contas:
O Sporting deu um passo bastante importante para a qualificação no seu grupo da Taça da Liga. O Varzim depois de derrotar o Vit. Setúbal vai agora a Alvalade e o vencedor da partida será com grande probabilidade o vencedor do grupo. Se o Arouca empatar com os setubalenses na outra partida, estarão os dois já eliminados.

SL



quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O Futuro

O futuro do Sporting passará sempre, não só, mas sempre...pelos atletas que forma. Quanto melhores forem os formandos, menor será a necessidade de contratar fora, melhor será a reputação de Alcochete, maior será o ganho na identidade e nos cofres do clube. Apresento-vos aqui um onze de jogadores com muito talento. Não consigo visionar as suas carreiras futuras, mas lá que prometem, prometem!

1- Guarda-redes
Luis Maximiano

2- Defesa Direito
Mama Baldé

3- Defesa Esquerdo
Pedro Empis

4- Defesa Central
Domingos Duarte

5- Defesa Central
Guilherme Ramos

6- Médio Defensivo
Bubacar Djaló

7- Médio Centro
Francisco Geraldes

8- Ponta de Lança
Ronaldo Tavares

9- 2º Avançado
Pedro Marques

10- Extremo Direito
Elves Baldé

11- Extremo Esquerdo
Matheus Pereira

Muitos ficarão por constar nesta recolha, talvez até alguns que venham a ser melhor sucedidos no clube, mas a estes dediquem um pouco mais de atenção. Valerá a pena

SL

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Luto

A aeronave que transportava a equipa de Boeck (guarda-redes emprestado pelo Sporting), o Chapecoense, despenhou-se na Colômbia para onde se dirigia para disputar um jogo da Copa Libertadores. Há poucos sobreviventes do acidente, mas ao que parece Marcelo Boeck não seguia no avião, por ter sido dispensado da viagem.
Aguardam-se mais desenvolvimentos, mas para já, a única coisa que posso desejar é muita força para o clube brasileiro e os meus sentimentos às famílias afectadas por esta desgraça.

SL

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Porto sem sentido

Ouvir, ler ou ver adeptos do Porto vociferar contra a arbitragem é um exercício penoso. A vergonha alheia atinge máximos ao sentir que não têm qualquer tipo de argumento válido para explicar o que se passa com a sua equipa, para explicar como NES está a colocar a sua equipa cada vez mais distante da identidade ou do valor do tal Porto que muitos anseiam.

A outrora "máquina" de vencer troféus e de manobrar o sistema a seu prazer e necessidade é hoje uma geringonça de erros e flops que acerta uma vez, para quebrar nas 10 seguintes operações. Os jogadores estão longe de serem Falcao, Jardel, Fernando ou Ricardo Carvalho, os peões de secretaria estão longe de "taparem" as manobras na arbitragem e disciplina. A máquina foi claramente ultrapassada pelo paradigma da "hegemonia do Benfica" e o pior de tudo é que tudo foi construído na careca de Pinto da Costa, pelo seu "amigo" LFV.

O "medo" do Porto já é apenas uma história do passado e à medida que os clubes acordam, a equipa de futebol vai tendo cada vez mais dificuldade em justificar o seu orçamento, sobretudo quando gerida por um "amador" como NES.

Oxalá "durmam" por muito tempo e continuem a desculpar tudo com erros de arbitragem, não fazendo as mudanças que realmente precisam, continuando a deixar passar o "carrossel" de Mendes e do Benfica como algo com que apenas o Sporting se tem de preocupar. Não vendo o inimigo, não o combatem, não o superam.

SL

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Escapar à realidade

"...Durante o dia, circularam pela internet alegadas declarações do presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, onde este afirmava que "apenas o Benfica se poderia comparar ao Barcelona" no que respeita ao ecletismo. Contudo, porta-voz do clube catalão explicou a Record que tais palavras nunca foram proferidas e que o líder blaugrana não fez, sequer, qualquer comentário sobre o assunto ou sobre as águias.

Acrescente-se que tais considerações e comparações entre o Benfica e o Barcelona no que toca ao ecletismo foram, sim, feitas pelo jornal 'Mundo Deportivo', num artigo a propósito da apresentação das modalidades de pavilhão do emblema da Catalunha, e nunca por Bartomeu, garante fonte do clube."

No afã de encontrar sempre um qualquer reconhecimento externo à boa gestão do Benfica, muitos jornalistas inventam literalmente declarações. Em pouco tempo, dois clubes europeus tiveram de desmentir a imprensa portuguesa e se isto não envergonha a classe, nada o fará.
Quem lê este blog ou visita a página de facebook, sabe que não aconselho a "ingestão" de qualquer jornal desportivo e recomendo espírito muito crítico quanto a programas de rádio e tv. É por motivos como este que o faço. O compromisso com a verdade no jornalismo desportivo é zero enquanto que o compromisso com a "lavagem cerebral" dos adeptos é total.

Nos últimos meses têm de facto saído muitos elogios a um clube português nos media internacionais e esse clube não é o Benfica, mas sim o Sporting. Disso os nossos jornalistas esquecem-se de fazer eco e não estão em falta com o clube leonino, mas sim com o seu público, os seus consumidores, que são cada vez mais benfiquistas e cada vez menos afectos a outras cores. Deixo aqui um aviso sério aos chefes de redação, um alerta que lhes pode vir a ser útil um destes dias:

Os vossos Grupos de Comunicação veem cada vez mais como solução extingui-vos os locais de trabalho e apostar tudo em estagiários, reduzindo o vosso espaço de intervenção ao online, vocês preferem "agradar" ao clube com mais adeptos. Olhem para as vossas contas actuais e vejam como o plano não trouxe melhoras financeiras. Mas vai piorar. Quando o clube que protegem e se cansam de elogiar estiver na mó de baixo, quando os adeptos encarnados desejarem fugir às capas, não ouvir reportagens ou ver programas de paineleiros...quem comprará os vossos jornais? Quem ouvirá as vossas emissões? Quem mudará de canal para ver os vossos programas? Conseguirão sobreviver nessa altura?

SL

terça-feira, 22 de novembro de 2016

É possível!

Não sei quanto é que as casas de apostas dão de probabilidades a uma vitória do Sporting hoje à noite em Alvalade frente ao R.Madrid, mas imagino que serão bem menores que o empate e ainda mais remotas que a vitória dos madrilenos. Parecendo impossível aquando do sorteio, o Sporting vencendo hoje, abre completamente as hipóteses de apuramento à custa do favorito do grupo. Não é um cenário impossível, mas vai ser bastante difícil. Ainda por mais o Real vem de uma vitória fora, por 3-0 frente ao seu rival de Madrid…e embora seja Sportinguista até ao osso e acredite sempre na minha equipa…o Sporting desta época, não tem o poderio do Atlético. A moral é alta, Ronaldo regressou aos hat-tricks, bateu mais um record e derrotando o Sporting garantem o apuramento, evitando sobressaltos e podendo até descansar muitos titulares nos 2 últimos jogos do grupo.

Cabe ao Sporting exibir-se a grande nível e desta vez não desperdiçar nada, não permitindo ao Real que faça o seu jogo de contenção e subida de linhas apoiada em Modric e Vasquez, dando aos laterais visitantes algo para se preocupar e sobretudo impedir que CR7 ou quem surja na frente de ataque tenha a oportunidade de se desmarcar entre os nossos centrais. A defesa do Sporting terá muito trabalho, tal como William, Adrien e o 3º elemento escolhido para ajudar a segurar a linha média. A Dost pede-se que não desperdice a mais pequena oportunidade e que Gelson consiga ser o catalisador da velocidade atacante da equipa. É possível e até que os 90 minutos terminem, vale a pena outra pelo que houver para lutar, mantendo a ideia bem acesa de que as boas exibições na Champions, sobretudo contra o campeão em título, serão sempre recompensadas.


SL